Embora o Parkinson seja uma doença ainda sem cura, a ciência vem trabalhando continuamente em busca de tratamentos para estabilizar, atenuar ou até mesmo interromper a piora dos sintomas. Esta é a segunda condição neurodegenerativa mais incidente em pessoas acima dos 60 anos, atrás apenas do Alzheimer. Entre as muitas dúvidas, que vão além do diagnóstico, as formas de tratamento também deixam incertezas entre os pacientes. Será que a medicação é nossa única alternativa, ou existem outras opções?

Leia o artigo no site da GRUPAR  acessando o link abaixo:

https://encontrar.org.br/artigo-cirurgia-dbs-pode-reduzir-ate-80-dos-tremores-causados-pelo-parkinson/